futuro sustentável

Em um esforço conjunto que exige mudanças significativas nos modelos de produção e consumo, empresas e consumidores vêm ao longo dos anos adotando uma postura mais ativista por um futuro sustentável.

76% das empresas brasileiras já contam com ESG em suas estratégias de negócios e são as que têm mais chances de conquistar a preferência do consumidor. É o que aponta um estudo da KPMG, citado pelo Mundo RH.

A partir de uma  reflexão sobre valores e prioridades enquanto sociedade, todos nós somos responsáveis pelas decisões que podem gerar impactos significativos no mundo. Consequentemente, estamos mais  conscientes da necessidade de adotar medidas sustentáveis em todas as áreas possíveis.

À medida que a sociedade se une e se engaja nas causas sociais e ambientais, um futuro sustentável emerge, impulsionado pela demanda por maior transparência por parte das empresas. O conceito de sustentabilidade abrange diversas perspectivas, não se restringindo apenas ao meio ambiente, mas também abrangendo questões como bem-estar, qualidade de vida e atendimento humanizado.

Esse conjunto de posturas tem um olhar mais humano sobre as pessoas, o meio ambiente e a sociedade como um todo, e a finalidade é que todos se sintam engajados em uma espécie de missão coletiva. 

Em um tripé de ações humanizadas e sustentáveis, podemos considerar a importância do ESG, do marketing e do engajamento para a construção de um futuro sustentável.

 

ESG

 

Para falar sobre ESG (environmental, social and governance), em português, ambiental, social e governança, precisamos lembrar que não é um assunto novo ou da moda, mas sim o resultado de iniciativas práticas que vêm sendo abordadas há mais de 50 anos.

Primeiro, com o Clube de Roma discutindo o relatório “Os limites do crescimento”, em 1972, e alguns anos mais tarde, em 1987, com a apresentação do “Relatório de Brundtland” da médica Gro Harlem Brundtland, onde se definiu o conceito de desenvolvimento sustentável.

Na década de 1990 surge, então, o Triple Bottom Line ou Tripé da sustentabilidade, modelo de gestão criado pelo britânico John Elkington, que leva em consideração aspectos econômicos, sociais e ambientais, no qual se baseiam os atuais investimentos sustentáveis.

ESG é também sinônimo de investimento financeiro. Para se ter uma ideia, em uma entrevista concedida à CNN, o representante do Tesouro Nacional, Rogério Ceron, enfatizou que a iminente emissão de títulos públicos “verdes” pelo governo federal desencadeará em uma agenda de transição ecológica com a finalidade de atrair investimentos ao Brasil.

Lembrando que à frente do seu tempo estava Peter Drucker ao citar em seu livro Prática de Administração de Empresas, que “o mais importante é que a gerência entenda que deve considerar o impacto que cada política e ação comercial tem na sociedade”.

Com essas importantes contribuições, chegamos finalmente em um tempo onde o tema avançou do âmbito político e social para dentro das empresas com melhores práticas ambientais e trouxe uma perspectiva de compromisso coletivo, gerando engajamento e marketing positivo para as marcas.

No âmbito corporativo, o tema ESG vem ganhando destaque, pois ao atenderem às necessidades da sociedade, colaboradores e consumidores mais exigentes e atentos aos impactos ambientais, as empresas melhoram sua reputação e visibilidade positiva da marca.

Através dos pilares ambiental, social e de governança, o ESG avalia o desempenho de uma empresa em relação a questões como emissões de carbono, gestão de resíduos, diversidade e inclusão, ética nos negócios, entre outros aspectos relevantes.

Essa abrangência já faz parte do planejamento e da gestão empresarial de muitas empresas para um futuro sustentável. 

A construção civil é um dos exemplos de empreendimento com possibilidade de 100% de reaproveitamento de materiais. 

No Brasil, a quantidade de resíduos provenientes da construção civil é alarmante, alcançando a marca de 84 milhões de metros cúbicos anualmente. No entanto, a indústria está empenhada em transformar essa realidade por meio do reaproveitamento desses entulhos. É o que mostra o vídeo do quadro CNN Mais Verde. 

 

 

No entanto, apenas adotar práticas sustentáveis não é suficiente. É essencial comunicar essas ações de forma eficaz e humanizada para envolver stakeholders internos e externos. 

 

Marketing

 

Dentro desse tripé humanizado e sustentável, está o marketing com o papel fundamental de estimular a sociedade a adotar melhores práticas ambientais, comunicar as ações e informar resultados.

O conceito de marketing em toda a sua amplitude, tem o papel de avaliar as oportunidades de mercado e identificar os desejos e as necessidades do consumidor, que está mais atento e preocupado com os impactos ambientais gerados por suas compras. Ou seja, suas estratégias precisam estar voltadas para o compromisso das empresas com a redução do impacto ambiental e social. 

O marketing em sua essência tem propósito, visão, objetivos e estratégias genuinamente orientadas por pessoas e para as pessoas. Neste contexto, podemos dizer que o marketing autêntico é humanizado e sustentável e, assim,  fortalece o crescimento de uma marca e o relacionamento com o cliente, sem abrir mão de valores e princípios éticos. 

Devido à natureza não exata dessa área, todas as estratégias devem ser examinadas sob uma perspectiva mais humana e, mais do que nunca, devem contribuir para um futuro sustentável.

O marketing humanizado é uma estratégia que busca demonstrar respeito e atenção ao cliente. Além de trazer maior transparência para o relacionamento, tem como objetivo eliminar ruídos na comunicação e estabelecer uma conexão emocional positiva com a marca.

É importante ressaltar que o marketing humanizado e sustentável seja genuíno. As empresas devem ter cuidado para evitar greenwashing, que é o uso indevido de práticas de marketing para criar uma imagem falsa de sustentabilidade. 

O público está cada vez mais consciente e exigente, e não hesitará em criticar e boicotar empresas que tentam se aproveitar da preocupação com o meio ambiente de forma enganosa.

O marketing humanizado oferece a oportunidade para as empresas se posicionarem como agentes de mudança positiva. Ao comunicarem suas melhores práticas ambientais para  ressaltar seu compromisso com um futuro sustentável, elas conquistam  a confiança das pessoas e fortalecem sua reputação, atraindo e engajando toda a rede de stakeholders.

 

Engajamento

 

O engajamento de colaboradores, clientes e fornecedores dentro de uma nova cultura colaborativa é também indispensável para a construção de um futuro sustentável. 

As empresas devem envolver stakeholders e comunidade nas discussões sobre sustentabilidade. Por meio de programas de responsabilidade social corporativa, parcerias com organizações ambientais, transparência nas práticas empresariais e incentivos, é possível estimular a participação ativa das partes interessadas.

Estando a cadeia de distribuição alinhada com as práticas ambientais sustentáveis, é preciso engajar colaboradores e consumidores com seus propósitos e valores.

 

  1. Comunicação transparente

Comunique de forma transparente os valores e compromissos sustentáveis da empresa para que os colaboradores e os consumidores entendam como os produtos ou serviços estão alinhados com a sustentabilidade e se sintam engajados na contribuição de um futuro melhor.

 

  1. Educação e a conscientização

Invista na educação e na conscientização para engajar colaboradores e consumidores sobre as questões ambientais e sociais relacionadas aos produtos ou serviços que estão sendo oferecidos. Ensine como descartar produtos ou agir em relação aos serviços. Forneça informações sobre os impactos ambientais, os benefícios sociais e as práticas sustentáveis adotadas.

 

  1. Envolvimento emocional

Conecte-se emocionalmente com colaboradores e consumidores, destacando os benefícios positivos que a adoção de práticas sustentáveis traz para o planeta e para as comunidades. Mostre como eles podem se engajar para fazer a diferença e contribuir para um futuro mais sustentável.

 

  1. Incentivos e recompensas

Crie incentivos e recompensas para colaboradores e consumidores que adotarem comportamentos e escolhas sustentáveis. A começar por descontos em produtos eco-friendly, programas de fidelidade com benefícios sustentáveis ou a doação de uma parte das vendas para causas sociais e ambientais.

 

  1. Transparência na cadeia de suprimentos

Demonstre transparência em relação à cadeia de suprimentos, fornecendo informações sobre as práticas sustentáveis adotadas em todas as etapas, desde a produção até a entrega do produto ou serviço. Isso ajuda a construir confiança e fortalecer o engajamento dos colaboradores e dos consumidores.

 

  1. Práticas acessíveis

Torne as práticas sustentáveis acessíveis e fáceis de serem adotadas. A disponibilidade de produtos sustentáveis nas prateleiras, a ampliação das opções de transporte sustentável ou a oferta de soluções convenientes, como programas de reciclagem ou de reutilização, têm o poder de atrair e engajar colaboradores e consumidores.

 

  1. Engajamento nas mídias sociais

Utilize as mídias sociais como ferramenta para engajar colaboradores e consumidores em torno da sustentabilidade. Compartilhe histórias inspiradoras, dicas práticas e informações relevantes sobre o assunto. Incentive a participação ativa por meio de hashtags, desafios e campanhas.

 

  1. Parcerias e colaborações

Estabeleça parcerias com organizações e influenciadores que compartilham dos mesmos propósitos e valores de sustentabilidade. Essa união pode ampliar o alcance das mensagens para inspirar colaboradores e consumidores a adotarem práticas sustentáveis.

 

O engajamento de toda a stakeholder é essencial não só nas práticas, mas também para uma melhor comunicação das mesmas. É um processo contínuo. Ao envolvê-los ativamente nessa jornada, você estará construindo uma base sólida, humanizada e sustentável, contribuindo para um futuro sustentável.

 

Conclusão

 

Um futuro sustentável depende de ações práticas e de um compromisso contínuo em todas as esferas da sociedade. 

Os governos e as empresas têm um papel fundamental nesse processo, pois possuem recursos e influência para impulsionar mudanças significativas. 

Ao adotar práticas de ESG, promover o marketing humanizado e engajar stakeholders, as empresas podem se tornar agentes de transformação em direção a um futuro sustentável.

Conheça as soluções de engajamento da Premmiar e fortaleça a cultura da sua empresa com práticas genuinamente centradas nas pessoas e que potencializam o crescimento dos seus negócios de maneira inteligente e sustentável. 

Compartilhe este artigo em suas redes!