benefícios corporativos

 

O mercado de benefícios corporativos vem crescendo ao longo dos anos em virtude do aumento da demanda de colaboradores que estão de olho em benefícios mais diversificados.

Ao mesmo tempo que isso é bom, os desafios crescem na mesma proporção. Isso porque as ofertas das concorrentes que acompanham o panorama de um mercado mais humanizado e com foco no colaborador, saem na frente.

Com movimentação estimada em R$170 bilhões em 2019, o mercado de benefícios corporativos no Brasil é considerado o maior do mundo, liderado ainda pelo VR (vale refeição) com 81%.

De acordo com o Guia Nacional de Benefícios 2022, estudo feito pela startup francesa Swile, o mercado de benefícios vem se atualizando constantemente, mas é um dos mais afetados por fatores sociais e econômicos, e situações herdadas da pandemia de Covid19.

O Guia também pontua duas mudanças em destaque no cenário atual: o crescimento do auxílio home office nos dois últimos anos e do auxílio educação que já vinha em forte crescimento, mas que se destacou com a tendência do trabalho híbrido, tornando-se um atrativo ainda maior para colaboradores que não precisam se deslocar e pegar trânsito, ganhando mais tempo livre.

 

Desafios do mercado de benefícios corporativos

 

Uma grande preocupação do setor é a portabilidade de benefícios. Apesar de ainda não ser regulamentada, o Decreto 10.854/21 tem como proposta dar mais liberdade de escolha aos colaboradores em relação às empresas de benefícios. 

Previsto para entrar em vigor em maio de 2023, a Lei 14.442 também está mexendo com o setor de benefícios, já que proíbe as taxas negativas, mais conhecidas como “rebate”. 

O rebate, prática muito comum entre fornecedores de vale refeição ou alimentação, em sua maioria, nada mais é do que oferecer descontos a fim de atrair potenciais empresas contratantes.

Na prática do rebate, alguém tinha que pagar essa conta, ou seja, no final das contas era o próprio colaborador que tinha seu valor do benefício diminuído. Ao consumir em um restaurante, por exemplo, o usuário do vale refeição acabava pagando mais caro, já que o estabelecimento embutia nos preços o valor de taxas.

Vale lembrar que se a empresa é credenciada ao PAT (Programa de Alimentação do Trabalhador), é preciso ficar atenta às mudanças previstas pela regulamentação. Aquela que não cumprir as regras, poderá ser multada e até perder o benefício fiscal do programa.

Outro grande desafio é a personalização de benefícios corporativos com foco na retenção de colaboradores com necessidades distintas. 

Dependendo do modelo de trabalho, alguns precisarão de vale transporte ou vale mobilidade (novidade no mercado) para o deslocamento até o local de trabalho, enquanto que para outros será necessário o auxílio home office para as despesas de energia, internet etc.

São mudanças que vêm preocupando e desafiando as empresas líderes no mercado de benefícios corporativos, tendo em vista a concorrência acirrada das startups de benefícios flexíveis.

 

6 Oportunidades no mercado de benefícios corporativos no atual cenário do país 

 

Acompanhar as oportunidades no cenário atual do mercado de benefícios corporativos diz muito mais respeito em agradar clientes e colaboradores, do que simplesmente sair oferecendo propostas de benefícios para driblar a concorrência, sem nenhum critério.

A matemática é lógica e simples: colaboradores motivados e felizes tornam-se fiéis à empresa de benefícios. Além disso, favorece à empresa contratante com a diminuição do turnover, fato que de alguma forma reverbera na manutenção do contrato.

Sendo assim o centro da estratégia está na flexibilização e as oportunidades estão servidas em um prato ainda pouco apreciado pela maioria das empresas. 

 

Benefícios flexíveis

 

Para aqueles que buscam oportunidades de investimento no Brasil, sejam investidores brasileiros ou estrangeiros, é bom ficarem atentos às startups de RH, haja vista o significativo crescimento do mercado de benefícios corporativos, em virtude do aumento da demanda dos colaboradores por benefícios mais diversificados e abrangentes.

Outro dado importante é que nos últimos 10 anos, o número de carteiras assinadas cresceu em 24%. Um recorde, que na opinião de especialistas do setor torna o mercado propício para uma expansão.

Diante desse panorama de desafios, atentar às tendências do mercado de benefícios corporativos e transformá-las em oportunidades é necessário, estratégico e inteligente. 

 

Veja algumas delas:

 

1) Auxílio Home Office

Em um artigo anterior eu já falei um pouco sobre o real significado de home office, que apesar de sua tradução literal ser “trabalho em casa”, na verdade é um espaço alternativo ao da empresa. Ou seja, eu posso trabalhar em home office em cafés, parques, aeroportos, hotéis etc. e obviamente que em casa.

Aderir a esse modelo de trabalho é compreender a importância da qualidade de vida para o aumento da produtividade e consequentemente para os objetivos do negócio. Algo que ficou bem claro com o advento da pandemia de Covid19. No entanto, empresas e colaboradores ainda precisam amadurecer melhor a ideia. 

E em se tratando de benefícios corporativos, essa modalidade não exclui a necessidade de um suporte financeiro aos colaboradores, já que há vários custos envolvidos, principalmente quando trabalham em casa.

Essa flexibilização é uma excelente oportunidade para empresas de benefícios corporativos que estão antenadas com o panorama atual. Ao oferecer esse tipo de auxílio, diversificam sua oferta e fidelizam clientes, considerando inclusive, que uma boa fatia das empresas, 55%, ainda não investem nesse tipo de benefício.

 

2) Vale Mobilidade

Em uma versão mais ampla de VT (vale transporte) que já é adotado por quase 70% das empresas, o vale mobilidade engloba além do transporte público, aplicativos de transporte, gastos com combustível, estacionamento, entre outros benefícios.

Uma prática antiga era oferecer o benefício do VT para os colaboradores em geral e alguma ajuda de custo para aqueles que realizavam trabalhos externos, geralmente em serviços de manutenção, visitas a clientes, viagens etc.

Com o crescimento do trabalho híbrido, essa prática foi tomando uma outra proporção e hoje com a necessidade de personalização do benefício, algumas startups já oferecem esse tipo de opção única.

A oportunidade está em conhecer a realidade do seu cliente e fisgar essa fatia de mercado em crescimento.

 

3) Auxílio Educação

É um dos benefícios flexíveis mais atrativos para talentos interessados em ampliar conhecimento e obter crescimento profissional. 

Ao perceber a importância e as vantagens para a imagem da marca, empresas que aderem a esse tipo de benefício, conseguem uma melhor retenção de talentos e diminuição da taxa de turnover.

O auxílio-educação tem a finalidade de custear cursos on-line, especialização, cursos de idiomas, bolsas de estudo para graduação, entre outros.

Em síntese, oferecer esse tipo de benefício é uma oportunidade de conquistar clientes que pensam lá na frente e querem reter os melhores talentos. Além disso, é um diferencial para fidelizar esses colaboradores à sua marca no mercado de benefícios corporativos.

 

4) Multibenefícios

Esse benefício é oferecido através de um cartão híbrido que permite a antecipação do salário. As melhores ofertas são as sem custo para a empresa e sem taxas para o colaborador. Além disso, possibilitam a realização de compras na rede

 

5) Premiação

Com este benefício você pode disponibilizar um crédito para premiar e recompensar colaboradores ou prestadores de serviços que se destacam com algum resultado. É uma forma ágil e sem burocracia de reconhecimento de talentos.

Agregado à inovação tecnológica, é um dos benefícios corporativos mais importantes para ações de engajamento. As empresas estão investindo em tecnologia para fornecer benefícios eficientes e personalizados através de plataformas de gerenciamento de benefícios on-line e aplicativos móveis.

É uma tendência nos últimos tempos onde se vê a importância de uma melhor gestão do ecossistema de incentivo, fidelidade e engajamento, facilitando inclusive, a utilização em vários estabelecimentos físicos e on-line.

E não pára por aí. Há uma série de benefícios corporativos entre os tradicionais e os mais flexíveis, que visam fidelizar o cliente, através da satisfação dos seus colaboradores.

De acordo com um estudo da Technavio, é previsto um crescimento em 9,05% até 2026 para o mercado de benefícios corporativos no nosso país, que avança com uma perspectiva de movimentar cerca de 5,57 bilhões de dólares, tendo como carro-chefe o vale alimentação. 

 

Conclusão

 

Se você quer elevar sua empresa de benefícios corporativos a um outro patamar, é preciso conhecer os desafios e aproveitar as oportunidades que se apresentam no cenário atual.

Os benefícios flexíveis são uma tendência e uma oportunidade. 

Tendência porque acompanha a realidade do mercado atual onde o colaborador está no centro das estratégias que proporcionam bem-estar e qualidade de vida. Consequentemente, o colaborador é motivado e fidelizado, não só com a empresa para a qual trabalha, mas também ao programa de benefícios.

Oportunidade, pois é a partir do momento que se consegue enxergar a importância de ampliar a carteira de benefícios, que surgem novas possibilidades e novos contratos.

Lembrando que hoje em dia os colaboradores têm mais poder de escolha, em virtude da portabilidade de benefícios e que também é preciso acompanhar as mudanças no mercado.

Desejo muito sucesso!

Compartilhe este artigo com gestores de benefícios e amplie suas oportunidades!